Quarta-feira, 30 de Setembro de 2009

OPINIÃO (III)

Eu estive lá!

O dia em que o Zhang fez o Sá Pinto perder a cabeça...

Ontem (20 Janeiro 2010), tal como muitos mafrenses - a imprensa diz que éramos perto de 3000 - fui a Alvalade XXI ver o jogo dos Oitavos-de-Final da Taça de Portugal entre o Sporting e o CD Mafra. Como não se previa uma grande afluência de sportinguistas, fui para o estádio quase em cima da hora mas, quando lá cheguei percebi que já não ia conseguir entrar antes do inicio do jogo... Os números oficiais referem 12725 espectadores o que, para ver um jogo envolvendo um clube da 2ª Divisão B, não está nada mau. 
Atravessei o parque de estacionamento em passo acelerado e lá estavam perfilados os 11 autocarros da "Mafrense" onde viajaram muitos dos meus conterrâneos. Mais à frente o autocarro da Santa Casa da Misericórdia de Mafra e mais adiante a velha carrinha do Encarnação, entre muitos outros de instituições mafrenses que não quiseram ficar de fora da "festa da Taça". Junto ao estádio vi as carrinhas da Sport TV que asseguravam a transmissão televisiva. Não se tratava de um sonho. O CD Mafra estava mesmo lá, em Alvalade XXI para defrontar o Sporting! 
Enquanto aguardava na fila para comprar o bilhete, tomei a decisão mais difícil da noite. Não iria para a bancada do CD Mafra. Foi uma decisão arriscada. Se as coisas corressem mal ao CD Mafra estaria melhor no conforto das nossas gentes, partilhando da mesma angústia mas, se porventura as coisas corressem mal ao Sporting, nada melhor do que estar no meio dos... sportinguistas!
 
Nas bilheteiras estavam afixados cartazes a anunciar o jogo e o preço dos bilhetes: Sporting - GD Mafra. Gê Dê!? O quê, agora é Grupo Desportivo? Não é que os gajos do Sporting se enganaram na sigla do nosso clube!? Não esperava isso do Sporting! Eles que são conhecidos na Europa como Sporting de Lisboa e que até já apresentaram uma queixa na UEFA alegando que são Sporting de Portugal, deviam ser exemplares nesta matéria. No melhor pano cai a nódoa.
 
À minha frente na fila estava um grupo de sportinguistas dos quais eu jurava que um deles era o Yannick Djaló mas, o meu companheiro de noite - sportinguista, pois claro! - assegurou-me que se tratava apenas de um sósia. Eu diria antes um clone mas, como não vi a Luciana por perto, admiti que ele tinha razão. Com o jogo já a decorrer e eu farto de esperar (e indisposto com a gaffe do GD), tive de gramar o sósia do Djaló a pagar os 10 euros do bilhete com moedinhas de 50, 20 e 10 cêntimos. Ainda por cima faltavam-lhe 20 cêntimos! Meti a mão ao bolso e paguei eu os 20 cêntimos. Afinal de contas quem não pagaria 20 cêntimos para se livrar do Djaló? Afinal somos um grande clube. Um gajo gasta tudo até ao último cêntimo só para ver o CD Mafra jogar.
Pedi então dois bilhetes para o sector que não tivesse fila à entrada. O homem da bilheteira respondeu-me com simpatia que de facto ali estava uma grande fila para entrar mas, não lhe era possível saber se do outro lado do estádio não estaria uma fila ainda maior. Obrigadinho, pensei eu. Em Mafra estamos muito à frente pois sabemos sempre se as entradas estão ou não congestionadas. Bem, na realidade só temos uma entrada...
Se deste lado sei que está uma treta e não vou conseguir entrar antes do CD Mafra marcar o 1º golo, venham de lá os bilhetes para o outro lado do estádio. Há que ter fé.
 
Foi uma boa opção pois do outro lado não havia fila. Toca a trepar degrau a degrau até ao topo pois o gajo que projectou o estádio lembrou-se de fazer um fosso mas não foi para rebaixar o estádio e evitar que um gajo chegasse lá acima com os "bofes à boca". Já perto do topo começa a malta a gritar que é pénalti, é pénalti. Raios partam! Queres ver que quando entrar no estádio já o meu CD Mafra perde! Acelerei e ainda vi o chileno Matígol converter com êxito o pênalti. Começamos mal...
Porém ainda não havia aquecido o meu lugar quando o Zhang fugiu da esquerda para o meio e atirou de fora da área para um golo fabuloso que motivou uma explosão de alegria de todos os mafrenses. Do sector onde me encontrava (B30) tinha uma visão privilegiada para a numerosa claque do CD Mafra, do lado oposto ao que eu me encontrava. Ali à minha volta dei conta de um ou outro mafrense que, tal como eu, mesmo no meio de sportinguistas saltámos de alegria acenando orgulhosamente os cachecóis.
Durante a primeira meia hora o CD Mafra jogou taco-a-taco com o Sporting. Foram ténues as diferenças entre as duas equipas, muito por culpa do Sporting, que não se esforçava para imprimir um ritmo mais elevado. Por diversas vezes olhei para o banco do Sporting pois pela forma como jogavam achei que ainda era o Paulo Bento o treinador.
Cada vez que o CD Mafra se aproximava da área do Sporting a defesa tremia mas, sem jogar quase nada o Sporting demonstrou uma invulgar inspiração na finalização em lances de bola parada. Aos 37’, o Daniel Carriço subiu mais alto num canto e cabeceou para o 2-1 e à passagem dos 45 minutos o Saleiro repetiu o gesto, assinando o 3-1. Resultado injusto face ao que ambas as equipas haviam demonstrado mas, na verdade os leões mesmo sem criar muito mais perigo aproveitaram todas as ocasiões que tiveram, fazendo 3 golos de bola parada.
 
Na 2ª parte, logo aos 47 minutos o Yannick Djaló aproveitou um erro da nossa defesa e fez o 4-1, num remate cruzado dentro da área. Praguejei e lembrei-me do clone a quem havia dado os 20 cêntimos para entrar no estádio que por essa altura estaria a saltar de alegria. Raios o partam a ele e ao verdadeiro Djaló. Temi o pior. Com tanto tempo ainda para jogar receei o descalabro da nossa equipa mas, os nossos jogadores disputaram cada lance com brio e empenho e o Sporting não voltaria a marcar. Com a entrada do Postiga, sussurrava-se na bancada que ele ia finalmente quebrar um jejum histórico mas, por cada golo perdido ficava a convicção que teria de escolher outro adversário que não o CD Mafra. Irritados, os adeptos do Sporting apupavam-no. Ouvi mesmo alguém atrás de mim dizer que na próxima época deviam emprestá-lo ao Mafra. Lagarto, lagarto, lagarto, vira para lá essa boca!
 
Estava eu interrogar-me se perder por 3 podia ser considerado uma goleada, quando aos 84 minutos o guardião Rui Patrício tentou aliviar a bola com uma monumental falta de jeito, o que a fez tomar um efeito estranho e no duelo pelos ares acabou por perder para o Zhang, que cabeceou para a baliza, alcançando o segundo golo em Alvalade. Nova explosão de alegria dos adeptos mafrenses e, registe-se o detalhe, não é que um jogador mafrense vai buscar a bola dentro da baliza do Sporting e a coloca no meio-campo. O CD Mafra queria mais e viria a conseguir mais! Animados pelos incansáveis adeptos que nessa altura eram os únicos que se ouviam em todo o estádio, os nossos jogadores perderam o “respeito” ao Sporting e já nos descontos, com um fabuloso desvio de cabeça o Zhang assinou um hat-trick e fez o 4-3. Os últimos momentos da partida foram com o Sporting algo desorientado e com os seus adeptos silenciados e incrédulos. Apesar de estar no outro extremo do estádio eram bem audíveis os nossos adeptos a gritar “Só mais um, só mais um”. Infelizmente, era demasiado tarde para o CD Mafra fazer tremer o Sporting.
 
No final, o contraditório dominava o rosto dos adeptos. O sorriso desta vez estava no rosto dos adeptos da equipa que perdera. Apesar da vitória, os sportinguistas estavam sisudos e abandonavam o estádio cabisbaixos, enquanto que os mafrenses de cabeça erguida exibiam orgulhosamente os cachecóis verde-amarelo. Na saída encontrei muitos mafrenses desconhecidos. Cruzávamos olhares e sorriamos. Vi uma adepta com dois cachecóis entrançados, um do CD Mafra e outro do Sporting. Não gostei. Um mafrense é acima de tudo um mafrense e para fazer figuras tristes mais vale ficar em casa. Eis que finalmente encontrei uma cara conhecida: um jogador juvenil de andebol do CD Mafra. Porém, em vez do cachecol do CD Mafra ele trazia um cachecol do Sporting! Tive vontade de o esganar no próprio cachecol mas, controlei-me. Contudo, vou bani-lo do Blog. Ai vou vou!
 
De regresso a casa a fila na Padre Cruz e na Calçada da Carriche fazia lembrar a hora de ponta, tantos foram os mafrenses presentes em Alvalade. Em caravana, automóveis e autocarros seguiam para a A8 exibindo orgulhosamente as cores do CD Mafra. Todavia, os senhores da A8 não vão em futebóis e toca de reduzir a faixa a apenas uma via porque as obras de alargamento não podem parar só porque os pagadores de portagens vieram todos a Lisboa apoiar a sua equipa. Resultado: grande estrangulamento de tráfego com o consequente engarrafamento e mais de 30 minutos de fila mas, sem direito a desconto na portagem que a obra tem de ser paga por todos nós…
 
Já passava da meia-noite quando cheguei a Mafra. Saudei o convento e pareceu-me ver um sorriso na estátua do D. João V. Tivesse o CD Mafra ganho e eu teria deixado o meu cachecol sobre os seus ombros. Adormeci a pensar nos 3 golos daquele “miúdo” chinês de apenas 20 anos e tentei recordar-me do último hat-trick em Alvalade mas, não consegui.
Hoje pela manhã corri para a televisão para rever os golos mas, as notícias davam destaque aos murros entre o Liedson e o Sá Pinto. Em matéria de murros Sá Pinto tem provas dadas mas, ainda assim, isso parece ser mais importante do que o hat-trick do jovem Zhang. Foi a primeira vez que um jogador visitante fez um hat-trick no novo estádio Alvalade XXI e é preciso recuar a Maio de 1994, ainda no antigo estádio, quando o João Pinto realizou tal feito no famoso 3-6 com o Benfica.
 
Aqui fica o resumo do jogo. Força CDM!
FICHA DE JOGO
Taça de Portugal 1/8 Final - 20.01.2010
Estádio José Alvalade
Árbitro: Hugo Miguel (Lisboa)

SPORTING – Rui Patrício; Abel, Daniel Carriço, Polga e Grimi (Pedro Silva, 57m); Adrien; Izmailov (João Moutinho, 67m), Matias Fernandez e Vukcevic; Yannick e Saleiro (Postiga, 57m).

CD MAFRA – Juan Castro; Éder, José Inácio, João Afonso e Joãozinho; Marco Paulo; Catchana (Élio, 49m) e Zhang, Ricardo Correia; Kifuta (Emiliano, 55m) e Dabao (Bonifácio, 69m).

Ao intervalo: 3-1

Marcadores: 1-0, Matías Fernandez (g.p. 14m); 1-1, Zhang (16m); 2-1, Carriço (36m); Saleiro (44m); 4-1, Yannick (47m); 4-2, Zhang; 4-3, Zhang.

Acção disciplinar: Cartão amarelo a Yannick (SCP), Joãozinho (CDM), Carriço (SCP)

Fim da partida: 4-3

 

Man of the match: Zhang (CD Mafra)

 

 

 

Publicado por Antonio Fonseca às 10:10
| COMENTAR

VISITANTES:


desde 30.09.07

NOTICIAS

FOTO DA SEMANA

EQUIPAS

TREINOS

VIDEOS

OPINIÃO

EDITOR

APOIOS

PAVILHÃO

Boa Tarde, venho informar de que o Campeonato Naci...
TREINOS (Nova Época):SENIORES: TER (20H-21H); QUI ...
Boas, alguem sabe se já estão a decorrer os trein...
Os jogos de apresentação dos escaloes do CD Mafra,...
JUNIORES E SENIORES - 2a feira, dia 1 de setembro,...
Mensagem importante : Informamos todos os atletas ...
não vai acabar? tens a certeza? só um conselho que...
Eu nao sei de nada , o que e que vai acabar?voce e...
o clube degradou-se, já não é o que era. é um club...
Rogersoares é o que se diz pela vila....