Terça-feira, 10 de Fevereiro de 2009

OPINIÃO (II)

                                         OS EMPLASTROS...

Publicado em Fevereiro 2009 

As equipas “B” dos clubes do Nacional vieram enriquecer e trazer maior competitividade ao Campeonato Regional mas, não se julgue que isso aconteceu por voluntarismo ou cooperação. Vieram porque tinham um problema para resolver.
  
Já vou na minha 3ª época de andebol. Como adepto, evidentemente! Sou um fã incondicional da equipa de Juvenis do CD Mafra que acompanho para todo o lado. Desde Junho 2007 que não falho um único jogo. São já 43 jogos consecutivos…
 
Durante décadas ignorei o andebol, do qual conhecia pouco mais do que o nome. Porém, em Outubro de 2006, o meu filho então com 15 anos e totalmente inexperiente na modalidade, ingressou nos Juvenis do CD Mafra.
Iniciei então um processo de aprendizagem. Afinal, para ser adepto também é preciso aprender! Preocupei-me em conhecer as regras básicas e as sinalizações dos árbitros, para melhor poder apreciar a beleza desta modalidade mas, nunca prestei muita atenção aos regulamentos. Contudo, os regulamentos são essenciais para um correcto desenvolvimento da modalidade e merecem-nos uma atenção redobrada quando os envolvidos no jogo pertencem aos escalões de formação. É nessa perspectiva que escrevo este artigo, fazendo uma retrospectiva comparativa às últimas três épocas de Juvenis da A.A. de Lisboa.
 
Na minha 1ª época de andebol – 2006/2007 – as 14 equipas de Juvenis da AA Lisboa, disputaram uma 1ª Fase em que as 6 equipas melhores classificadas seguiram para os Campeonatos Nacionais (Benfica, Ginásio Sul, Almada AC, Belenenses, Sporting e NAAL Passos Manuel) e as restantes 8 equipas disputaram o Campeonato Regional.
Nessa época, as equipas mais “pequenas” tiveram assim oportunidade de defrontar as “maiores” e foram os resultados desportivos que ditaram a participação num ou noutro campeonato (nacional ou regional). Recordo-me que o CD Mafra perdeu por números avultados com o Benfica mas, teve o privilégio de jogar no Pavilhão da Luz e defrontar Artem Kuibida, que é hoje jogador profissional do Benfica.
O Campeonato Regional foi muito bem disputado pelas 8 equipas, em sistema todos contra todos a duas voltas, com 14 jogos por equipa. Venceu a Académica da Amadora, seguida de GS Loures, CD Paço de Arcos, Colégio S. João de Brito, GS Odivelas, CDE Camões, Boa Hora FC e CD Mafra. De salientar ainda que, tanto no Torneio de Abertura como no de Encerramento participaram equipas dos Campeonatos Nacional e Regional, num total de 16 participantes.
 
Na época seguinte – 2007/2008 – a participação nas competições nacionais ou regionais não se fez pelos resultados desportivos mas, por opção das equipas ou, dito de outra forma, pelas disponibilidades financeiras das equipas. Nove equipas optaram pelo Nacional e apenas 7 equipas optaram pelo Regional, disputado em sistema de campeonato todos contra todos a duas voltas (casa e fora) e que ditou a vitória do CD Paço de Arcos, seguido de ABV Almoçageme, CD Mafra, GC Odivelas, Colégio S. João de Brito, CDE Camões e UJ Alverca. Essas mesmas 7 equipas já haviam disputado o Torneio de Abertura mas, no Torneio de Encerramento puderam contar com várias equipas do Campeonato Nacional, num total de 16 participantes.
 
Na presente época - 2008/2009 - manteve-se o modelo de as equipas optarem pelo Nacional ou pelo Regional. As equipas da época anterior que haviam optado pelo Regional tomaram a mesma opção esta época com excepção do Colégio S. João de Brito que abandonou este escalão, tendo surgido duas novas equipas, a Ass. Pupilos do Exército (que entretanto já desistiu) e o CF Sassoeiros, em estreia absoluta em escalões de formação,
Para além destas, surgiram no Regional mais 7 novas equipas: as designadas equipas “B” dos clubes que disputam o Nacional: Sporting, Belenenses, Almada AC, NAL Passos Manuel, Ginásio do Sul, Académica Amadora e 1º Dezembro. Apenas o Benfica não tem equipa “B” a competir.
As equipas “B” dos “grandes” clubes do Nacional vieram para o Campeonato Regional com o argumento de lhe trazer maior competitividade, contribuindo assim para o desenvolvimento e crescimento da modalidade. É certo que vieram enriquecer e trazer maior competitividade mas, não se julgue que isso aconteceu por voluntarismo. Vieram porque tinham um problema para resolver. Com o alargamento do escalão etário de Juvenis até aos 17 anos de idade, os clubes grandes depararam-se com um problema de excedente de jogadores juvenis, que não conseguiam colocar a competir. As equipas “B” são maioritariamente formadas por juvenis de 1º ano e por jogadores “recrutados” nas equipas do Campeonato Regional que, aliciados pelo sonho de jogar num grande clube acabam por abandonar precocemente os clubes locais, muitas vezes com prejuízo para a sua vida escolar e social.
 
Ao resolverem o seu problema da competição para os juvenis excedentes, as equipas grandes deparam-se com outro problema: o prestigio. Apesar de se intitularem “Bês”, têm um historial de sucesso e um emblema de prestígio a defender, pelo que têm dificuldades em aceitar a derrota perante equipas de menor dimensão, muitas vezes aquelas que desfalcaram “roubando-lhes” jogadores. Porque o regulamento o permite, não hesitam em levar jogadores da equipa A para os jogos mais difíceis, retirando sentido de equidade à competição. Veja-se o que o Belenenses fez no jogo com um Sporting já qualificado, “roubando” a qualificação ao CD Mafra. O Sporting não jogou com os seus melhores jogadores e o Belenenses levou jogadores da equipa A, até então não utilizados. Tudo correcto do ponto de vista regulamentar mas, questionável do ponto de vista ético. Veja-se também o que o Ginásio do Sul fez na deslocação ao até então invicto GS Loures. Veja-se a diferença de atitude do Almada AC enquanto lutou pela qualificação e quando já não tinha essa possibilidades (em que já nem chegou a jogar com o CF Sassoeiros). Veja-se ainda o caso do NAL Passos Manuel que não se qualificou e já abandonou a competição. 
 
Por outro lado, na presente época parece ter-se abandonado de vez o sistema de jogos a duas mãos (em casa e fora), claramente o mais justo e equilibrado, uma vez que cada equipa tem a oportunidade de jogar em casa com os mesmos adversários com que joga fora.
No Torneio de Abertura a equipa vencedora (o GS Loures) jogou a meia-final e a final em casa. Sem retirar qualquer mérito ao vencedor – tive oportunidade de ver ambos os jogos -  há uma evidente falta de equidade de tratamento das equipas.
Acresce ainda referir o lamentável episódio da qualificação do Belenenses em detrimento do CD Mafra, fruto de vicissitudes do regulamento. O Belenenses terminou a 1ª fase do Campeonato Regional com os mesmos pontos do CD Mafra (15 pontos), perdeu com o CD Mafra por 22-25 (já havia perdido no Torneio de Abertura por 25-31) e ficou a 10 golos do CD Mafra em diferença de golos. Apesar da evidente supremacia do CD Mafra, o regulamento da prova deu a vantagem ao Belenenses.
 
É ainda cedo para fazer o balanço da presente época mas, nos últimos três anos de Campeonato Regional de Juvenis, parece-me claro que o melhor modelo foi o da Época 2006-2007. O da época passada (2007-2008) foi o mais pobre no aspecto competitivo, por ausência dos grandes clubes mas, o da presente época ainda que mais competitivo, padece de uma enorme falta de equidade e pode ter efeitos perversos na formação dos jovens que se sentem discriminados e injustiçados por regulamentos desproporcionados.
 
COMENTAR ESTE POST

 
Publicado por Antonio Fonseca às 02:25

VISITANTES:


desde 30.09.07

NOTICIAS

FOTO DA SEMANA

EQUIPAS

TREINOS

VIDEOS

OPINIÃO

EDITOR

APOIOS

PAVILHÃO

Boa Tarde, venho informar de que o Campeonato Naci...
TREINOS (Nova Época):SENIORES: TER (20H-21H); QUI ...
Boas, alguem sabe se já estão a decorrer os trein...
Os jogos de apresentação dos escaloes do CD Mafra,...
JUNIORES E SENIORES - 2a feira, dia 1 de setembro,...
Mensagem importante : Informamos todos os atletas ...
não vai acabar? tens a certeza? só um conselho que...
Eu nao sei de nada , o que e que vai acabar?voce e...
o clube degradou-se, já não é o que era. é um club...
Rogersoares é o que se diz pela vila....